Hefesto (Hephaestus) é um deus da mitologia grega, cujo equivalente na mitologia romana era Vulcano. Era o deus da tecnologia, dos ferreiros, artesãos, escultores, metais, metalurgia, fogo, dos vulcões e do lume. Como outros ferreiros mitológicos, porém ao contrário dos outros deuses, Hefesto era manco, o que lhe dava uma aparência grotesca aos olhos dos antigos gregos. Servia como ferreiro dos deuses, e era cultuado nos centros manufatureiros e industriais da Grécia, especialmente em Atenas. O centro de seu culto se localizava em Lemnos.

História de Hefesto

O Deus possui duas histórias de sua origem. Em uma delas, é considerado filho de Hera e Zeus e fica manco após Zeus o jogar do Olimpo quando ele interveio em uma disputa entre os pais em favor da mãe. Em outra história, Hefesto é fruto da partenogênese de Hera, que o fez após ter ciúmes de Zeus por fazer Atena da mesma maneira, e o jogou do Olimpo após ver sua forma feia para os padrões olimpianos. Fato é que Hefesto é considerado um dos deuses mais interessantes do Olimpo, tendo epítetos como “o manco”, “o hesitante” e “o astuto”.Os símbolos de Hefesto são um martelo de ferreiro, uma bigorna e uma tenaz, embora por vezes tenha sido retratado empunhando um machado.

O Trabalho de Hefesto

Sua obra mais famosa é a Égide, peito de armas usado por Zeus em sua batalha contra os Titãs e que deu origem ao escudo de Atena. Construiu para si um magnífico e brilhante palácio de bronze, equipado com muitos servos mecânicos. Foi construtor também de boa parte dos magníficos equipamentos dos deuses mitológicos, e quase todo tipo de trabalho em metal dotado de poderes mágicos que aparece na mitologia grega é tido como tendo sido feito pelo deus: os tronos dourados do Olimpo, o elmo alado e as sandálias de Hermes, o mensageiro dos deuses, a célebre cinta de Afrodite, o cetro de Agamenon a armadura de Aquiles, os crótalos de bronze de Héracles, a carruagem de Hélio, bem como a sua própria, o ombro de Pélops e o arco e flecha de Eros. Também construiu autômatos de metal que trabalhavam para ele; entre estes estavam os tripés que tinham a capacidade de ir e voltar ao monte Olimpo.

 

Escolhendo o nome Hefesto como mentalidade

Pelas informações contidas nesse texto, percebe-se porque quando discutimos o nome da empresa, Hefesto agradou de forma unânime devido seu poderoso e histórico significado, servindo de inspiração para integrantes de nossa equipe, tendo em mente sempre os seus feitos magníficos e para que possamos pensar em inovar de maneira constante. Assim, podemos traçar nos eventos de desenvolvimento da Hefesto o paralelo com a frase do famoso autor inglês Arthur C. Clarke, de “O Sentinela”, conto de “2001: Uma Odisséia no Espaço” com Stanley Kubric, que “Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível de mágica”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *